17 • Palácio Fronteira, 001 • Lisboa, (Port.) • (Foto 2011)

Elogio do maravilhoso

Segundo um ditado veneziano, enquanto os portugueses navegavam, os venezianos financiavam. Parece difícil imaginar uma época em que os navios deixavam Lisboa e o Porto para navegar até Macau ou para o litoral do Brasil. E acumular riquezas consideráveis, como prova hoje o Palácio Fronteira, mantendo a saudade de um Portugal então no auge da sua potência. A riqueza figurativa dos afrescos dos jardins, os materiais utilizados, o aproveitamento dos espaços, tudo aqui é sinal de requinte e bom gosto. Até a ironia de certas cenas parece bem sutil se comparada às dores acumuladas para tamanha acumulação de riquezas. A história, boazinha, fica apenas com a imagem, esquecendo o sentido. Esse Netuno acotovelado e pensativo estará sonhando com todos os portulanos inscritos na própria memória ?